A Tocar na Rádio

Titulo da Musica

Artista

Programa no Ar

A Noite é nossa

22:00 23:00

Programa no Ar

A Noite é nossa

22:00 23:00

Background

‘No Namoro não há Guerra’. PSP recebeu 2 mil queixas de violência em 2020

Escrito porem 14 de Fevereiro, 2021

A maioria das denúncias diziam respeito a ex-namorados.

No Dia de São Valentim, a PSP revelou números que não têm nada de romântico, os da violência no namoro.

Num comunicado intitulado ‘No Namoro não há Guerra’, a PSP começa por explicar que “a violência nas relações de namoro pode assumir as vertentes física, psicológica/emocional, social, sexual e económica” e recorda que “injuriar, ameaçar, ofender, agredir, humilhar, perseguir ou devassar a intimidade são formas de violência”.

Perante isto, revela esta força de segurança, 85% dos relatos de violência no namoro, apresentados em 2020, envolvem violência psicológica. Já a violência física está presente em 70% das denúncias. Aproximadamente 50% dos casos ocorrem no interior de residências, ao passo que 27% ocorrem na via pública.

Foram assim registadas, no ano passado, 2.006 denúncias, das quais 1.116 de violência entre ex-namorados. 890 foram queixas de relações ainda em curso, transversais a todas as faixas etárias.

Em comparação com 2019, a PSP constatou um decréscimo de cerca de 5% das denúncias.

A grande maioria das vítimas é do sexo feminino, na faixa etária dos 18 aos 24 anos. O suspeito médio, tanto masculino como feminino, tem entre os 25 e os 34 anos.

Conta ainda a PSP que, durante o ano letivo de 2019/2020, no âmbito do Programa Escola Segura, esta temática esteve muito presente. Foram realizadas, nesse sentido, 1.346 ações de sensibilização sobre o tema, envolvendo 28.573 alunos a nível nacional.

Este trabalho, segundo a polícia, contribuiu para que, anualmente, 40% das denúncias de violência no namoro cheguem à PSP através do Programa Escola Segura.

Antes de terminar, a PSP apela a que toda e qualquer violência seja denunciada às autoridades.

Fonte: Noticias ao Minuto


Opinião do Leitor

Deixe o seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados